Fundos e Coleções

O Núcleo Museológico de Fotografia do Douro Superior possui uma grande diversidade de fundos e coleções. Reúne milhares de registos fotográficos desde a segunda metade do século XIX, abarcando não só o concelho de Torre de Moncorvo, como também Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta, Vila Flor, Alfândega da Fé e Vila Nova de Foz Côa.

Foto Peixe

O fundo da Foto Peixe é o fundo mais relevante deste núcleo museológico. Reúne milhares de registos fotográficos, máquinas e aparelhos de apoio à reprodução de imagens. Adquirido aos herdeiros do fotógrafo José dos Santos Peixe (1917-2002), cuja casa comercial de fotografia “Foto Peixe”, laborou durante largas décadas na vila e concelho de Torre de Moncorvo, mas igualmente em outros concelhos transmontanos.

Neste fundo encontram-se depositadas imagens preciosas não só de pessoas, como também de eventos sociais, políticos, religiosos e até atividades do quotidiano.

Dr. Horácio Nobre Brilhante Simões

O Dr. Horácio Simões (1910-2001), natural de Lisboa, foi veterinário, professor de Ciências do Colégio Campos Monteiro e depois da Escola Técnica/Secundária e elemento de destaque local durante o Estado Novo. Foi igualmente interessado pela história, arqueologia, etnografia e fotografia.

A sua coleção fotográfica consta de uma grande diversidade de temas, assuntos e locais, de interesse para história política e social do nordeste transmontano, bem como para os estudos arqueológicos, históricos e etnográficos desta região. De salientar os filmes, por si realizados, da década de 40 e 50, principalmente o que regista a laboração mineira, nas minas da Carvalhosa, em Torre de Moncorvo.

Estúdio Torre – José Manuel Carva

O estúdio Torre de José Manuel Carva (1931-1991), localizava-se na Av. Eng.ª Duarte Pacheco. O seu arquivo, salvo “in extremis” de destruição total, foi recolhido em 2003. Além das fotografias de tipo familiar, possui notável interesse as da evolução da vila de Torre de Moncorvo, e das suas atividades, a partir da década de 70, do séc. XX, bem como da região envolvente. Neste último caso, aponta-se o exemplo do registo fotográfico da construção da barragem do Pocinho, bem como da atividade da empresa Ferrominas.

Padre Francisco Manuel de Castro

O espólio fotográfico do Padre Francisco Manuel de Castro (1886-1963) reveste-se de grande importância no seio do núcleo museológico. Este pároco e missionário em Moçambique, possuidor de grande cultura e notável linguista, dedicou-se igualmente à fotografia, quer na sua terra, como também nas antigas colónias. Na sua coleção, destacam-se os registos fotográficos de Torre de Moncorvo, como também de diversas quintas da região.

Pequenos fundos fotográficos

Além dos quatro fundos principais existentes (Foto Peixe, Dr. Horácio Simões, Estúdio Torre, Padre Francisco Castro), o núcleo museológico possui outros pequenos fundos e coleções fotográficas. Estes centram-se no concelho de Torre de Moncorvo e região. Refiram-se os casos de Francisco Garcia, Arnaldo Duarte da Silva, Padre Adriano Guerra, Joaquim Rodrigues dos Santos Júnior (cujos originais são pertença e estão depositados no Centro de Memória de Torre de Moncorvo), entre outras fotografias de fundos familiares cujo autor é desconhecido.

Coleção de máquinas e instrumentos para fotografia

Esta coleção resulta de aquisições e doações ao Sr. Arnaldo Silva, com várias proveniências. Reveste-se de elevado valor, particularmente para o estudo da história da fotografia no país, possuindo objetos datáveis desde o último quartel do século XIX. São particularmente interessantes os instrumentos de apoio à revelação de fotografias, como é o caso dos ampliadores e uma caixa de retoque, comumente conhecida por Pupitre, com todos os acessórios para o acabamento da fotografia.

Coleções de Arqueologia e Etnografia

O núcleo museológico além dos fundos e coleções relacionadas com a fotografia, possui igualmente coleções de Arqueologia e Etnografia.

A coleção arqueológica resulta de materiais recolhidos no âmbito das obras de adaptação do edifício, ao fim atual, bem como de outros materiais recolhidos pelo proprietário no concelho de Torre de Moncorvo. São de realçar as cerâmicas comuns de fabrico regional (Felgar e Larinho), as valiosas coleções de faiança a partir do séc. XVII, materiais de importação chinesa e ibérica, além de diversos numismas, metais e objetos líticos e osteológicos.

A coleção etnográfica centra-se em objetos provenientes do concelho de Torre de Moncorvo, de produção local – Felgar, sendo de realçar as talhas, cântaros e alguidares.

Relevante para a região, é a sua grande coleção de livros a partir do século XVI.