• Concelho
  • Caracterização

Caracterização

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8

O concelho de Torre de Moncorvo tem 8572 habitantes distribuídos por 13 freguesias numa área de cerca de 532 km2.

Criado no séc. XIII, o concelho tem origem medieval no antigo concelho de Santa Cruz da Vilariça. D. Dinis, em 1285, que concede carta de foral a Torre de Moncorvo, dotando a vila de castelo e muralhas.

Do séc. XV ao XVIII o concelho viveu uma grande fase de prosperidade devido à produção do linho cânhamo, da cultura da vinha, azeite, seda, lã, amêndoa e da exploração de ferro.

No séc. XVI e na sequência da divisão administrativa do reino passou a sede de uma das 4 comarcas de Trás-os-Montes, que chegou a abarcar 26 vilas e 182 freguesias, com 96 km de extensão e outro tanto de largura, indo até terras de Chaves e Amarante.

Torre de Moncorvo foi também, no séc. XIV, sede de Rabinato de Trás-os-Montes, herança essa muito forte e ainda visível não só na antiga sinagoga, nos doces de amêndoa, no Lagar da Cera de Felgueiras como nos nomes da ruas da vila.

Os rios Sabor e Douro são uma marca na paisagem deste concelho. Não menos importante é o Vale da Vilariça, apelidado de "Vale do Nilo" Português, que do ponto de vista agrícola é um dos mais produtivos do país.

Uma grande parte do concelho tem um microclima mediterrânico que lhe confere aptidões naturais para o cultivo da vinha, oliveira e amendoeira.

Integra uma região onde se produzem excelentes vinhos generosos, o melhor azeite do mundo, e que é também a maior produtora de amêndoa no País.

Uma das maiores jazidas de ferro da Europa, situada na Serra do Reboredo, poderá a médio prazo ter um papel importante na economia da região.