História

Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo

Em 1974, o Prof. Doutor Fernando de Sousa, com uma equipa de alunos Universitários, inicia o inventário do Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo.

O Arquivo, encontrava-se numa dependência da Câmara Municipal, junto ao Tribunal, em acelerado processo de degradação, não tendo sido possível a recuperação de algumas séries.

O inventário efetuado pelo Prof. Doutor Fernando de Sousa, com a colaboração do Dr. Nelson Rebanda, revelou que o Arquivo era constituído essencialmente por dois fundos: a coleção dos Pergaminhos, com 112 pergaminhos e cerca de 130 documentos em papel, desde o século XIII ao XIX; e o Fundo dos Manuscritos, possuindo 869 espécies e 7 pastas contendo correspondência avulsa. Diz respeito ao período compreendido entre o início do século XVII e os inícios do século XX.

Neste mesmo ano, o Arquivo foi transferido para o edifício dos Paços do Concelho.
Nos finais dos anos oitenta, a Câmara Municipal aluga um edifício, onde reserva uma sala para aí instalar o Arquivo Municipal.
Em 1999, o arquivo foi transferido para um edifício recuperado e dotado de todas as condições técnicas necessárias à conservação dos acervos. Ficando aqui instalada a documentação desde o século XIII ao XIX.
A restante informação produzida pela estrutura encontrava-se dispersa por diferentes edifícios da autarquia e num edifício cedido pela Fundação Francisco António Meireles.
Em 2001, a Câmara Municipal apresentou uma candidatura ao PARAM (Programa de Apoio à Rede de Arquivos Municipais), para a construção de um edifício para instalação do arquivo, bem como adaptação do mesmo com meios e equipamentos necessários ao cumprimento da função arquivística. O Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo, passa a dispor de mais um edifício.
À documentação já existente, situada no edifico da Rua Infante D. Henrique e referida no inventário do Prof. Doutor Fernando de Sousa, foi proposta a sua reclassificação, e incorporados mais de 331 documentos desde o século XVII até 1930, desde Atas, Minutas de Atas, livros de Recenseamento Eleitoral, Cadernos Eleitorais, etc. Passando a constar 1200 espécies documentais.

O restante acervo documental, calculado em 800 metros lineares, cujas datas extremas variam entre 1912 e 2012, foi concentrado no edifício da Travessa Tomás Ribeiro, procedendo-se à sua conservação física, através da limpeza, acondicionamento e instalação das espécies documentais.
O processo de reclassificação teve por base conhecer a instituição Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, a sua estrutura, formação e evolução que teve ao longo dos séculos, nunca esquecendo os fatores económicos, sociais e políticos que a influenciaram.
Da atividade por ela desenvolvida resultou uma extensa produção documental que, se foi acumulando na Instituição constituindo importantíssimo sistema de informação cujas datas extremas se situam entre os séculos XIII e XXI.
O núcleo documental do Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo é muito heterogéneo, podendo interessar aos estudiosos e investigadores sob diversos aspetos, além do histórico e paleográfico, nomeadamente ao nível do plano cultural e social do concelho e região.
Este Arquivo é constituído maioritariamente pelo valioso fundo que diz respeito à atividade administrativa da Câmara Municipal e Coleção de Pergaminhos. Para além destes possui mais 19 Fundos que fazem do Arquivo Municipal de Torre de Moncorvo um dos mais ricos da região.